O recrutamento de Octávio Fernando para a AEA

igp1667

Eu conheci o Octávio… Bom eu estava a esquecer, meu nome é António João… Conheci o Octávio ainda pequeno. Não o conheci com o nome de Octávio. Conheci-o como Sarilho, era o nome dele, mas muito mais tarde comecei a ouvir que era Octávio, mais muito mais tarde mesmo! Também conheci bem o Fontes e a mana NITA[1]. Naquele tempo era jovem, bonita, jovem mulata mesmo [risos]. É verdade, basta ver hoje como é que ela é! Imagine há 40 anos atrás como é que era?

Então conheci [-os], no lugar onde até hoje ainda têm o terreno, ainda vive lá o João Mulemba, um dos irmãos! […] Eu conheci-os ali mesmo. Mas passado algum tempo, eu fui trabalhar também com uma tia, irmã da minha mãe, chamada Piedade. Xará da minha filha que está ali.

Onde é que era? Era na rossa do Marques Seixas, que era no Capiri.  Então a minha mãe disse assim: está lá a tua mãe Umba. Umba é a mãe do Fontes, mana Nita e Octávio…

Eu cheguei lá encontro, o Fontes, o Sarilho, o Nando! Nando é o outro irmão também, que hoje…

– O Ramos, [alguém emendou]!

– Ok, o Ramos… comecei a viver com ela lá.

Tempo depois eu saí do Capiri com a visão de querer andar mais. Deixei então o Ramos, dexei-os em Capiri.

A cena que o primo Fontes contou, eu já não a assisti!  Já tinha saído do Capiri. Já tinha ido a Gabela. Dali, eu viajei para Luanda. Tempo depois! Muito tempo depois, me encarei com o Octávio em Luanda.

Octávio tinha chegado da tropa.

Quem me deu a notícia é a Zinha! Não sei outro nome dela. A mãe da…

– Mazinha.

– Ora nem mais! Mazinha. Sim, a Mazinha.

A Mzinha disse que o Octávio. Filho da mamã Umba tinha vindo da tropa!

Octávio?! Eu não conheço. Pelo nome eu não conhecia. Então, quando me encarei com ele. Ah, é o Sarilho. Então prontos nos apegamos. Levei-o em minha casa.

Não sei se lembram em 1974 houve uma marcha militar, quando todos os militares revoltados marcharam em direcção ao Palácio, o Octávio teve a disponibilidade. Eu arranjei emprego para o Octávio na Saratoga.

Mas, ele tinha outra visão! Tinha uma visão muito extraordinária…

Ficou comigo na Saratoga, mas meses depois, porque tinha conseguido outro emprego bom no banco anunciou-me que abandonaria a Saratoga.

Imagine como é que fiquei. Então você vai embora, arranjei um emprego bom. Eu achava que emprego bom era aí onde estávamos juntos. Mas ele arranjou emprego no banco. Ficou funcionário bancário.

De repente houve uma grande necessidade na AEA. Eu não sei precisar o mês nem o ano. O cargo de Secretário geral estava vago.

Era preciso outro secretário geral, pois o que estava lá tinha abandonado…

Quem é então que vai ser secretário-geral?!

Dos mais velhos pastores não havia, olha irmãos… até houve pastores que falaram comigo, disseram assim: “aceitar ir para a AEA é falta de visão”.  Não vou dizer quem falou isto! Fiquei desapontado. Fiquei chateado.  Porque éramos todos membros da AEA e ele me disse que: “aceitar ser secretário geral da AEA é falta de visão”.

Bom o Octávio estava comigo em casa. Eu disse Octávio… O Pastor Eliseu, dizia esse miúdo mesmo dá! Não era pastor, não era ainda nada.

Vamos consagrá-lo a pastor.

Irmão foi muito difícil sacar o Octávio do Banco para ir a AEA. Também digo que a mão de Deus estava lá.

Ele estava casado, mas houve necessidade na AEA.

O Octávio é recrutado para uma missão, numa AEA “que não tinha nada”! Não tinha dinheiro, não tinha instalações, nada…

Ali onde as pessoas achavam que ir para lá é falta de visão é onde o Octávio foi!

Nós, a AEA, nós a ICEA, nós a família beneficiamos muito de Octávio.

Até hoje se você diz a minha Igreja é a Igreja do Octávio Fernando todo mundo conhece.

Octávio na MabuaFalar do Octávio. Falar dele neste momento é… Nós só agora é que podemos ver que, talvez não tivessemos muita visão. Não entendemos a mensagem do Octávio… talvez podiamos poupá-lo. Talvez… desculpem, [a voz cortou-se para dar lugar às lágrimas], podíamos poupá-lo e não morresse a essa agora. Nossa mente não estava aberta.  Não entendemos bem quem era Octávio. Qual era a visão dele. Por isso até agora a ICEA não está muito preocupada.

Surge este momento feliz, momento bom, que o Serafim tem despertado para fazer alguma coisa com relação ao Octávio! Não será benefício só para a família do Octávio, mas também para a própria ICEA. Porque para aquilo que hoje é a ICEA, alguns não sabem, ficam, a saber, é graças ao Octávio. O nosso nome está em cima, nós ICEA, somos uma Igreja pequena em termos de quantidade, mas somos uma Igreja forte por causa do Octávio. Algumas igrejas membros da AEA não tinham muita capacidade em termos de pagamento de quotas na hora certa. Para os irmãos que foram na última assembleia geral da AEA, há igrejas que têm 7 anos sem pagar quotas. Nós nos habituamos com o Octávio a cumprirmos o nosso dever de pagarmos as nossas quotas.

Falar de Octávio é falar da pacificação, falar de Octávio é falar de palestras com casados, encontros com casais, falar de Octávio é falar de sacrificar-se.

Falei muitas vezes ao Octávio: arranje maneira de gravar as suas mensagens, Octávio não fez não sei por quê? Eu disse epá: você sai muitas vezes fora do país. Epá compra um carro, dá na sua esposa. Você tem o carro da AEA… bom, enfim… o Octávio começou a ter muitos problemas de saúde. Nós não entendemos o que é que estava a acontecer: Mas podemos dizer que Octávio para nós, ICEA, nós família, é o nosso modelo em termos de, conforme a mensagem [dele] que ouvimos há pouco, em termos dizia eu de aprumo moral: não a corrupção, não a bruxaria, não a prostituição, não ao pecado, etc… e é verdade que alguns filhos do Octávio não estão ainda maduros, mas com o que estamos a ouvir agora, vocês vão amadurecer. Saber que vale a pena lutarmos ainda um «bocado» para manter o nome do Octávio em cima.

Entre todos aqui, eu vivi mais tempo com o Octávio, agradeço, a Deus porque o Octávio foi grande mestre.

Octávio é que remodelou conjuntamente com o Pr. Chiquete, ele está assentado aí. Remodelou os nossos estatutos. Octávio teve iniciativas que levaram a ICEA a um bom rumo.  Nós temos recordações muito grandes de pessoas que nos ajudaram. Octávio é uma delas. Agradeço a Deus porque o Octávio ouviu o clamor da Igreja. Também o pedido do Pr. Eliseu.

Agora Octávio na família! Era aquele que estava presente. Estava na reunião da família. Comia conosco. Comia quase tudo, alguns obreiros não aceitam comer certas comidas, mas o Octávio comia… Talvez isso também é o que lhe fez mail, mas, enfim, não sei!

Para a ICEA se quisermos ser bons obreiros vamos copiar, não digo tudo, também ninguém vai copiar tudo, mas aquilo que é bom.

Obrigado Serafim, por ter esta iniciativa. Espero que de vez enquanto voltemos aqui recordar, se aqui é o lugar próprio para o que se pretende fazer, consultarmos algumas obras do Octávio, livros, CDs…

Agora onde vamos encontrar outro Octávio?! Temos que correr para pegar algumas obras do Octávio, algumas recordações. Eu tenho muitas fotos do Octávio que podem enriquecer o trabalho que está a ser feito. Acho que o resto… agradeço a todos…

 

António João

 

14 de março de 2014.

[1] Fontes Fernando e Nita Fernando são os irmãos mais velhos do Rev. Octávio Fernando

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: