Tributo a Octávio Fernando

Rev. José Abias

Rev. José Abias

Atendendo ao chamado do Senhor da seara, acabava de me enquadrar na Direcção da minha denominação, o que me colocava no Conselho Directivo da AEA. O contexto de um país que acabava de aderir a uma filosofia ateísta, uma Igreja Evangélica abandonada pelos missionários e sem uma liderança formada nem uma estrutura que facilitasse a sua reorganização, desafiava-nos a uma acção corajosa e de fé. Por isso, ao conhecer o Rev. Octávio, o sentimento de não estar sozinho, de ter outros jovens com a mesma determinação, desenvolveu em nós o espírito de solidariedade e encorajou a prosseguir numa caminhada espinhosa mas gloriosa.

Estávamos a começar a década de 80 quando se anunciava que um jovem bancário havia aceite o desafio de assumir o secretariado geral da AEA. Uma associação que só tinha nome mas sem estruturas e sem pessoal e sem recursos. Foi nessa altura que conheci Octávio Fernando. O sermos da mesma faixa etária e partilharmos da mesma visão, logo nos tornaria amigos e companheiros numa mesma trincheira.

Octávio Fernando foi um homem que Deus chamou em sua época para fazer face aos desafios de um contexto sócio-político complexo, caracterizado por uma ideologia que desafiava alguns paradigmas da nossa cultura e cosmovisão.

Foi um homem que demonstrou coragem e determinação e profunda convicção do chamado para o ministério, a ponto de abandonar um emprego promissor, social e economicamente falando, para servir a causa do evangelicalismo em Angola, mesmo com a incerteza, humanamente falando, no concernente ao sustento de sua família.

A sua visão ajudou a transformar a AEA de uma pequena organização de cariz espiritual para uma organização holistica que não se preocupava só com a alma mas também com o corpo onde está habita. Ajudou a ampliar a cooperação com instituições nacionais e internacionais, fazendo a AEA conhecida e respeitada tanto por instituições religiosas e sociais como políticas.

Num contexto de perseguição religiosa e de escassez de recursos humanos e materiais, não se deixou intimidar pelas circunstâncias.

Autodidacta e preocupado com o saber, superou-se teologicamente e ajudou a desenvolver o ISTEL enquanto projecto de formação de quadros que tinha o propósito de suprir as Igrejas com quadros de qualidade e de capacidade reconhecida internacional e interdenominacionalmente.

Num país mergulhado numa guerra que cada vez mais ganhava contornos de atrocidade desmedida, incentivou o desenvolvimento de programas de assistência aos refugiados e desfavorecidos e posteriormente desenvolvimento, tanto directamente como através de Igrejas membros.

Ao lado da AEA continuou a pastorear uma Igreja na sua denominação com dedicação.
Quis Deus levá-lo sem que antes pudesse desfrutar dos resultados da paz pela qual se bateu incansavelmente, na inspiração da criação do COIEPA e advocacia para a paz junto dos beligerantes e de instituições internacionais.

A soberania de Deus é inquestionável e sempre melhor para os seus propósitos eternos, embora incompreensível para a limitação da mente humana.

Este tributo também é merecido pala sua família que suportou corajosamente as suas ausências e lhe serviu de apoio pois ao lado de um grande homem geralmente está uma mulher ilustre, virtuosa, dedicada e de muita fé.

Rev. José Evaristo Abias
UIEA, Igreja Evangélica do Lubango
Phone: +244 923473131 e +244 912238113
Skype: joseesuzanaabias
C P 33, Lubango, Angola

“Somos livres para escolher, mas prisioneiros das consequências.”
“We are free to choose our paths, but prisoners of the consequences.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: