Nota vinte para as Mulheres da Quibala

AutorEstive recentemente na Província do Kwansa Sul mais concretamente nos Municípios do Waku Kungo e Quibala realizar um estudo sobre segurança alimentar em 35 comunidades das Comunas de Kissanga-Kungo no Waku-Kungo e Cariango na Quibala. O estudo encomendado pela Christian Aid, uma Agência Britanica de desenvolvimento, que apoia várias ONGs Nacionais e Internacionais que operam em Angola, destinava-se a fazer um levantamento de base  que possibilitará “o estabelecimento do ponto de partida” de um Projecto da ACM-KS (Associação Cristã para a Mocidade- Kwanza Sul). 

A viagem foi fascinante pois era a primeira vez que eu visitava aquelas localidades.  Deleitava-me com o clima (frio), a geografia – sobretudo o efeito quase que mágico das montanhas sobre as pessoas. Os nomes de quase todas comunidades são uma justa posição do nome da montanha mais próxima e do Soba Kungo, o fundador da região: Banza-Kungo, Pira-Kungo, Kissanga- Kungo, só para citar alguns. 

 E a vegetação de Cariango praticamente intacta…

Os carvoeiros ainda não chegaram em Cariango graças ao mau estado quibala1.jpgquibala1.jpgde conservação das estradas, mas certamente que quando a estrada Quibala Mussende for reabilitada pelos Chineses então aquele Jardim do Eden vai desaparecer. E o Rio Longa que passa a escassos metros da Sede da Comuna de Cariango já não vai ficar contaminado apenas com as fezes das pessoas que defecam precisamente sobre as lindas pedras, onde também as mulheres moem a fuba, que se encontram junto da ponte.Transportará também até Mumbondo (a nossa Comuna) as malditas latas de cerveja, gasosas, e plásticos que os turistas do litoral levarão para aquelas paragens e que num acto de cândida inocência, pura e simplesmente lançarão ao ar livre ignorando que, segundo os ambientalistas, aquele material levará milhares senão mesmo milhões de anos para se deteriorar e que afectará gravemente os solos e a vida de plantas e animais.  

Uma das coisas que gosto de fazer quando chego pela primeira vez numa localidade é procurar saber um pouco sobre a cultura do(s) povo(s) do lugar. Se for numa cidade, vila ou aldeia peço para que me mostrem o museu, a biblioteca, o teatro, os monumentos e lugares sagrados mais importantes. Infelizmente na maioria das cidades e vilas de Angola não existem museus nem bibliotecas. Por isso as vezes as pessoas riem-se de mim! No Waku Kungo onde permaneci mais tempo, também não há museu, e segundo os meus informantes, na bibioteca “só tem lá revistas da Jeová” (Palavras de uma jovem do Waku Kungo).  

O Senhor Francisco Guerra (Vice- Presidente da ACM) que é natural da Quibala, mas actualmente vive na Gabela falou-nos sobre a forma como o Rei da Quibala toma posse, morre e é enterrado…simplesmente impressionante. Vimos também a forma como os Quibalas ornamentam as sepulturas dos seus defuntos, mesmo as das pessoas  anónimas.  

quibala1.jpgGosto também de observar o comportamento das pessoas. As mulheres da Quibala, por exemplo, são bastante participativas nas reuniões. Elas falam! Sempre ouvi dizer que “as mulheres da Quibala falam muito”, que são assado e cozido, mas nunca tive a real dimensão do seu activismo. Confesso que gostei! Nota vinte para as mulheres da Kibala 

Mesmo aqui em Luanda é vê-las a lutar pela vida, comprando aqui e vendendo acolá. Não sei quantas mulheres da Quibala “rolam nas rodas mais altas” da sociedade angolana, sobretudo na política e na economia, mas pelo que vi, acho que quando um dia mais de metade das muheres da Quibala forem escolarizadas já não será necessário exigirmos 30% de participação feminina  na política!.. 

 Já passei em muitas comunidades de Angola sempre com a mesma missão agradável de ouvir e registrar o que as pessoas pensam sobre  “isso ou aquilo”, e em todas elas, quando o assunto fosse obter a opinião das mulheres era uma grande luta. Sempre, quase que é preciso forçar as mulheres a falar. Mas na Quibala não! Todos, homens e mulheres falam alto e ao mesmo tempo. Na verdade é necessário mandar calar a todos para tentar entender o fio da conversa. No grupo focal (conversa com cerca de 8 á 12 pessoas) que realizamos na comunidade de Lumbamba  prometi que escreveria um artigo para um jornal onde diria o seguinte: As mulheres da Quibala são tradicionalmente bastante participantivas nas assembleias da comunidade. Segundo um dos participantes: “os homens as vezes sentem-se um pouco ameaçados pois pensam que as mulheres querem tirar-lhes o poder”. Porém há um senso comum de que esse activismo é saudável. Prometi também, mas é claro que não vou cumprir porque é tecnicamente impossivel, trazer para aqui (Cariango) mulheres de outras partes de Angola para verem o quanto é bonito que as mulheres contribuam com as suas ideias para a solução de problemas que também lhes afectam, e quantas vezes só a elas afectam! 

Fica aqui lançado o desafio ao CNAL de levar as mulheres dos Luandos a Quibala (não sei com que dinheiro) para troca de experiências. Tenho  muita admiração pelas mulheres dos Luandos, mas acho que deveriam disputar um pouco mais com os homens o direito ao uso da palavra e de influenciar as decisões importantes da comunidade.  Mulheres como a tia Júlia Katutu, que participou junto com os homens na fabricação de blocos e na pintura da escola, a tia Josefa Ganga que levou 50 Kgs de areia (25 na cabeça e 25 nas costas) do Bumba para o sítio da obra (Menumba Vunge), a mana Marta Sanuca, a mana Lina Armando, a prima Florinda,  só para citar algumas, que se levantam as 2 horas da manhã para ir buscar água a cacimba e cozinhar para as visitas que vieram de Luanda e só àquela hora chegaram à comunidade apesar de terem partido de Luanda às 6 horas, deveriam aceitar cargos de direcção no CNAL incluíndo o de Presidente. Porque não?..É só porque temem usar da palavra na presença dos homens e tomar decisões que os homens também terão que obedecer?Serafim Quintino Luanda, 13 de junho de 2007.

12 respostas a Nota vinte para as Mulheres da Quibala

  1. Sónia Gomes diz:

    Boa tarde, Serafim!
    Gostei da tua iniciativa. Dizes que sempre que vais a uma localidade procuras te informar sobre a cultura do seu povo. Seria bom que daqui há algum tempo pudessess reunir essas informações num livro e partilhá-las com outras pessoas! E por falar em livro, há um “guerra e paz” (não sei se já ouviste falar dele, mas é um livro que existe há mais de 100 anos e é do escritor russo leo tolstoi) que eu gostaria que fosse lido por algumas pessoas e tu és uma dessas pessoas. Há muito que já ouvia falar dele até vir parar as minhas mão ai há caminho de um ano. Alguém o considerou como um legado para a humanidade. Em muitos livros, ele é referido como uma obra monumental e eu sempre pensei que era assim designado por causa do seu conteúdo, agora descobri que é também por causa do seu tamanho. Eu só tenho o 1.º e o 2.º volumes e cada um deles tem mais de 400 páginas. O livro é tão bom que quando cheguei a páginas 300 e pouco do 1.º volume eu comecei a poupá-lo.

  2. Isaias diz:

    Cara Sonia. Não poupes por favor o livro. Le-o o mais rapidamente possivel e caso dê, passe-o a outro que goste de ler. Não guarde as reliquias…
    Quanto ao artigo, achie-o bem interessante. Não são somente as mulheres dos Luandos que p+recisam de uma lição desse tipo mas as de toda esta Angola, que acham que o seu valor reside apenas no facto de serem casadas ou mesmo amantizadas deste ou daquele, vindo muitas vezes dali toda a sua arrogancia mas sem nunca perceberem que elas serão muito mais bonitas e recordadas por aquilo que puderem fazer e argumentar em favor dos seus. Fica mais uma vez provado que não é preciso estudar muito mas receber o tipo de educação certa para ser uma pessoa fenomenal e a mulher Kibala foi ensinada a falar por si e pelos outros. Continua com os teus apontamentos caro Serafim.

  3. santos wambembe diz:

    caro amigo serafim
    e muito gosto lhe encontrei o teu artigo que fala sobre os povos de angola e em especial do kwanza-sul ai onde eu nasci, ou seja sou do mussende na aldeia de sao martinho cresci ai mas por motivo de guerra e economica fui viver na quibala “muguitixi” uma localidade militalizada na altura estudei ai um ano mais tarde fui viver no waco-kungo, por isso eu me posso tambem opinar sobre estes povos com uma cultura rica.
    Falando um pouco mais do amigo serafim seria bom ecreveres um livro e falar de diferentes cultura se poderes num livro e separado por comunidade ,fotografias de areas sagradas pessoas importante do passado efim uma serie de artigos, lhe prometo que eu tambem estarei nesta “conoa”

    Ai tens o meu enderesso electronico “santoswambembe@yahoo.com”

  4. Arlete Alves diz:

    caro Serafim
    O abraco bem agradecido pelo artigo.Nunca e demais tratar-se de nos.quem ama quer conhecer mais e quem sabe tem o dever de dar a conhecer com a simplicidade e o coracao ,como e o caso.
    Sou natural do Kuito,ex-Silva Porto,la estudei mas o meu lugar de permanencia era o Cachiungo,ex-Bela Vista.
    Quero saber como posso ter acesso a lingua umbunda para estudar.
    Bem hajas! Que Deus te proteja e ilumine

  5. NASCE CRECE NA QUIBALA ,ESTOU BASTANTE SATISFETO COM A SUA AFIRMAÇAO. NOS OS QUIBALA GOSTARIA -MOS CONHECER-TE SEMPRE QUE TIVERES EM ANGOLA CONTCTA-NOS .

  6. Micaela Sebastião diz:

    Graça e apZ!
    estou encantada com tudo que acabei de ler!
    é um enorme prazer poder entrar em contacto com o Inmão!
    Gostei da maienra que escreveste sobre o que viste na Quibala! fiquei encanta sobre o forte potencial das mulheres nessa comunidade,sendo assim! convido que o irmao possa visitar tambem a minha terra natal! ¨*A provincia do Uige e faça um pequeno comentário ficarei muiot satisfeita, estarei a espera!

    Sou do GBECA,fui secretária do nucleo do Tchivgnguiro agora estou no Huambo a estudar.
    Cá tambem ja ocmeçamos com as actividades ,estamos a espera que nos visitem
    meu e-mail: micaisabel@hotmail.com
    Que o senhor ricamente o Abençoe.

  7. Tone Santos Cambundo diz:

    vivo na quibala e gostei do publicado desta pag.

  8. Cool blog! Is your theme customized or do you download this from someplace?

  9. I am regular reader, how are you everybody? This piece of writing posted at this site is
    in fact pleasant.

  10. For hottest news you have to visit internet and on internet
    I found this web site as a most excellent web page for newest updates.

  11. We’re a bunch of volunteers and starting a new scheme in our community.
    Your site offered us with valuable info to work on. You’ve performed a formidable activity and our
    entire group can be thankful to you.

  12. North London Van Hire undoubtedly works on the simple principle of fulfilling the customer’s needs in the best possible way at the least expensive and notably reasonable
    possible costs. If you spend lot of time in vehicle it would be better if you
    have a wash room, with a toilet and also a simple
    shower. Reliable van rental firms give a wide range
    of commercial vehicles from a variety of manufacturers and work together with major financial organizations in order to deliver the best feasible leasing deals.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: